Portaria n.º 845/2008 de 12 de Agosto Artigo 1.º 1 — O presente Plano de Uniformes, Insígnias e Identificações, adiante abreviadamente designado Plano de Uniformes, define os diversos artigos do fardamento dos bombeiros, as suas condições de utilização e as normas referentes à confecção em qualidade, dimensões, cores e feitios. 2 — O Plano de Uniformes é aplicável aos corpos de bombeiros mistos e voluntários, bem como aos corpos privativos de bombeiros. Artigo 2.º Uniforme Uniforme é o conjunto de peças de vestuário e outros artigos que, quando usado, por simples observação visual identifica, nomeadamente, o atributo de bombeiro, bem como a respectiva categoria.
(...)
Artigo 5.º Tipos 1 — Existem quatro tipologias base de uniforme dos bombeiros que se designam: a) Grande Uniforme; b) Uniforme n.º 1; c) Uniforme n.º 2; d) Uniforme n.º 3.
(...)
CAPÍTULO VII Disposições finais Artigo 76.º Direitos e deveres gerais 1 — Os bombeiros dos diversos quadros têm direito ao uso dos uniformes, insígnias e identificações, nas configurações previstas na presente portaria, em todos os actos em que o seu uso não esteja proibido ou vedado. 2 — Os bombeiros têm por dever impor a respeitabilidade da farda e defender o seu prestígio, apresentando -se devida e rigorosamente uniformizados, devendo igualmente cuidar da limpeza e conservação dos artigos de fardamento. 3 — O comandante do corpo de bombeiros tem o especial dever de velar continuamente, junto dos seus subordinados, pela estrita e completa observância das dis5476 Diário da República, 1.ª série — N.º 155 — 12 de Agosto de 2008 posições da presente portaria, procedendo no sentido de serem corrigidas as infracções que note ou de que tome conhecimento.
(Artigos essênciais, pode consultar toda a informação através da pesquisa da portaria em cima mencionada)
Caros colegas, estou um bocado cansado de abrir o jornal pela Manhã e ver na capa tristes figuras. Continuamos a fazer da farda um objecto que se usa não como regulamenta a lei e o estatuto do Bombeiro, mas sim como nos apetece. Sabemos, e eu em particular, que não se pode agradar a todos e que muitas vezes até falamos mais mal que bem (porque será?). Mas como um dos responsáveis por este blog tenho sempre o cuidado de publicar não só o que está mal mas, com o maior dos orgulhos, o que também está bem. Ainda na semana anterior publiquei uma imagem que me orgulha e prova que muitas vezes denunciarmos aqui a situação pode provocar mudanças, e acreditem que eu noto essas mudanças. Sabemos, todos, qual o fardamento e em que circunstancias o devemos usar mas mesmo assim as vezes fazemo-nos um pouco de esquecidos ou então como alguns aqui irão dizer de certeza "deviam lá estar vocês debaixo do sol com o fardamento completo". Tento compreender, mas se existem fardamentos são para ser usados, se existe um regulamento é para ser cumprido porque se não para que andar a fabricar leis para não serem cumpridas? Tanto mal se fala das nossas forças de igual acção, por serem mais ou menos capazes, por terem mais ou menos material mas neste caso em particular, ninguém, mas é que ninguém mesmo pode dizer que estas situações se verificam com eles. Será o fardamento deles mais confortável? Mais fácil de usar? Deixo essas opiniões para vocês. Peço desculpa por voltar aqui a por a cara dos meus camaradas em cheque mas afinal vocês estavam todos estampados no Correio da Manhã à vista de qualquer pessoa. Peço-vos postura e que entendam que erradamente teram de ser o exemplo para todos os camaradas que por desconhecimento ou por falta de responsabilidade fazem o mesmo. Aqui não está em causa a corporação nem o nome dos homens, está em causa a imagem que passam da generalidade dos bombeiros. Faço e denuncio isto em nome de todos os bombeiros que se esforçam por manter a imagem e dignifica-la perante o comum civil e que cumprem o que está estipulado na lei e nos regulamentos com esforço e dignidade. A eles, os meus parabéns. Aos que mesmo assim continuam a achar que isto é palavras ao vento apenas peço que os senhores Comandantes apliquem a lei e sancionem, para que um dia os que cumprem, não sejam metidos no mesmo saco por causa daqueles que querem continuar a viver na "republica das bananas", onde não há regra nem lei e cada um faz o que quer.

Fotografias: CM de 19/08/2010

 
Top